Entendendo o bitcoin

Quer entender o que é esse tal de bitcoin? É dinheiro? É pirâmide? É investimento? Quanto rende por mês?

Primeiramente, é importante saber que não possível entender bem o que é bitcoin sem saber o que é Blockchain. Se você é novo nesse mundo de criptomoedas, dê uma conferida nosso primeiro post dessa série e quando voltar aqui tudo ficará mais fácil.

O bitcoin foi a primeira moeda digital, ou criptomoeda, a ser adotada em grade escala. Foi criado em 2009 de forma anônima e não se sabe quem idealizou o bitcoin, apenas que o pseudônimo do criador (ou criadores) é Satoshi Nakamoto. A “certidão de nascimento” do bitcoin, chamado de white paper—um artigo no qual o projeto da criptomoeda é apresentado—, descreve um sistema de dinheiro eletrônico ponto-a-ponto (peer-to-peer), ou seja, para uso direto entre duas pessoas, sem a necessidade de uma instituição financeira como intermediária. Essa característica é a maior inovação do bitcoin: uma moeda segura que funciona em um sistema descentralizado e sem intermediários.

Para que servem os bitcoin?

O bitcoin foi criado para ser uma moeda revolucionária e ao longo do tempo os usuário encontraram diversas formas de aproveitar as suas vantagens.

Envio rápido e barato para qualquer lugar do mundo

O bitcoin permite que você envie dinheiro para qualquer pessoa em qualquer lugar do planeta, bastando o remetente estar conectado à internet. O destinatário recebe o dinheiro dentro de poucos minutos, de forma 100% segura. Você pode enviar qualquer quantidade de bitcoins para alguém em Portugal, por exemplo, e o destinatário recebe exatamente o valor enviado. Se você fosse tentar enviar dinheiro da sua conta bancária normal (em reais) para alguém receber euros em Portugal, levaria vários dias e as taxas às vezes passam de 10% do valor, além de depender de uma empresa ou banco e sofrer com atrasos e a falta de transparência, sem contar com as limitações impostas pela empresa ou governo.

Evitar os inconvenientes inerentes aos sistemas atuais, que dependem de intermediários (bancos, por exemplo), é o objetivo que Satoshi Nakamoto deixou mais claro em seu White Paper. O bitcoin foi idealizado exatamente para que o poder criptográfico da rede resulte em segurança absoluta sem depender de confiança em ninguém, apenas na matemática por trás da criptografia. Isso confere total liberdade aos usuários, criando um sistema no qual você é realmente dono do seu dinheiro e pode usá-lo da maneira que quiser, sem nenhuma burocracia. Não há nenhuma forma de qualquer pessoa ou até mesmo qualquer governo te impedir de usar os seus bitcoins como você quiser.

Especulação de preço, hold e trade

Desde que foi criado, o bitcoin apresenta um histórico impressionante de valorização ao longo dos anos. Com mais pessoas descobrindo a tecnologia e querendo possuir bitcoins, o seu preço da moeda aumenta. Com isso, muitas pessoas apostam na tecnologia para o futuro e compram bitcoins porque acreditam que a longo prazo, devido ao seu grande potencial revolucionário, o seu preço subirá muito mais. Quem opera dessa maneira é chamado de holder (do inglês, “segurar”) porque guarda as moeda para revender no futuro.

Também há quem faça trade, que consiste em tentar prever as movimentações de preço do mercado para saber as melhores horas para comprar ou vender, obtendo lucros. Quem opera dessa maneira é chamado de trader.

É aconselhável que tanto holders quanto traders usem somente dinheiro que podem perder. Não há nenhuma garantia de lucro e cada um é responsável pelo próprio investimento.

Reserva de valor—o “ouro virtual”

Um outro uso muito interessante do bitcoin é servir como proteção contra a desvalorização de patrimônio. Tradicionalmente as pessoas compram “moedas fortes” para guardar dinheiro por longos períodos e o ouro sempre foi muito procurado por conta de suas características e sua escassez. As pessoas que têm muito dinheiro não querem ter reais (R$), por exemplo, porque a política e a inflação afetam diretamente o valor desse dinheiro, então é comum comprarem dólares ou ouro para que o seu patrimônio não desvalorize tanto com o tempo. Além disso, essa estratégia é utilizada em momentos em que determinado país passa por crises financeiras como aconteceu na Grécia ou o caso atual da Venezuela.

O bitcoin é como uma evolução do ouro, tendo praticamente todas as características boas do ouro ao mesmo tempo que resolve praticamente todas as características ruins. Isso tornou o bitcoin uma excelente opção para guardar patrimônio e aproveitar a provável valorização ao longo do tempo.

Mas não rende?

Os seus bitcoins tendem a se valorizar ao longo do tempo (ou seja: a mesma quantidade de bitcoins passa a valer mais), mas não “rendem”, não se multiplicam. Ganhar dinheiro com criptomoedas é difícil e não existem garantias, então tome muito cuidado. Como em qualquer produto de renda variável, nunca utilize dinheiro que você não pode perder e não acredite em promessas milagrosas. Criptomoedas podem ser um investimento incrível ou uma forma muito prática de guardar ou movimentar o seu dinheiro, mas vale sempre lembrar que quando você é o seu banco, você assume toda a responsabilidade pelo que aconteceu com o seu dinheiro. Acompanhe nosso próximo post dessa série para usar seus bitcoins com segurança!